quinta-feira, 4 de setembro de 2008

A menina dentro da mulher

Estava agora a pouco rebuscando em minha mente o que escrever e comecei a ler meio que desinteressada um artigo sobre relacionamentos entre homens e mulheres e falava de uma mulher de seus cinquenta e poucos anos que tinha um relacionamento com um homem mais novo.
Confesso que me emocionei com ele talvez por que hoje eu tenha amanhecido sensível ou por que talvez eu tenha visto naquela mulher um pouco de mim, de meus sonhos, minhas alegrias perdidas. Sei lá.
Acho que o fato de ter chegado aos quarenta, está começando a mexer e muito com minha cabeça – preciso de um analista!
Mas o importante de toda essa experiente e proveitosa leitura, foi a grande lição que tirei que dentro de toda mulher, seja ela da idade que for, tem uma menina.
Quando somos meninas, temos sonhos de meninas, queremos ter um amor pra vida toda, casar na igreja com uma festa de casamento cheia de pompas e circunstancias ter uma aliança de compromisso.
Sonhamos quando menina com coisas assim e em um determinado momento de nossas vidas começamos a repensar esses valores e começamos a viver uma realidade diferente, o amor não era pra “tão” toda vida assim, festa de casamento... nem todas tem condições de faze-la e quando o casamento acaba? O que sobra?
Sonhos frustrados de uma menina que agora é uma mulher dita “descasada”. Viemos de uma geração que respeitava mais o ter que o ser e felizmente, isto está mudando.
Hoje em dia pra nós mulheres não nos interessa se carregamos em nós título de “esposas” ou qualquer coisa que valha hoje estamos interessadas na ebulição dos sentimentos loucos que tomam a gente de assalto quando encontramos alguém, alguém que se importa com a gente pelo que somos que nos deixa desequilibradas em nossos saltos quando o telefone toca e o coração dispara na iminência de ser ele ou quando ele liga no meio da tarde só pra dizer que tem saudades... quando convida pra um jantar meio que despretensioso no meio da semana.
Mas, voltando à menina – mulher, essa menina ainda cultiva seus sonhos, mas de outra forma. O que sonhamos hoje não é com uma união de compromissos, mas com uma união de almas. Isso é amor com ou sem margem de segurança de que o outro estará acordando do seu lado no outro dia. Porque tudo, tudo mesmo pode acontecer, podemos nos permitir e nada é garantido a não ser o amor.Amar é para poucos, mas eu acredito que amar é para todos. Basta que nos permitamos isso, basta que saibamos quando é o verdadeiro amor e que seja infinito enquanto dure...como dizia o poeta.


Rosane Silveira

5 comentários:

giz@ disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
luiza disse...

EU ADOREI SEU BLOG MARAVILHOSO
PARABENS

Salusa disse...

Amiga há poucos dias fiz 48 anos, mas sou uma menina mulher, adolescente e madura...confusa, envelhecer eu...nem pensar, o amor é minha terapia.
Beijocas doces!!!

SIGRID SPOLZINO disse...

Resumiste com a chave de tudo... A M O R !!!!! Tenha a idade que for, nós mulheres parecemos ter intuitivamente dentro de nossas almas incrustado esse sentimento! Por isso devemos usufruí-lo homeopaticamente e com sabedoria. Sabedoria está que chega aos 40. Lindo texto, vc. é uma pessoa linda!
Baci

PAULO disse...

ADOREI, TUDO QUE VEM DE VC É MARAVILHOSO.
PAULO R. CARVALHO